Ir para conteúdo
FCC

Professor (Franca)

Patrick Ayrton

Patrick Ayrton divide seu tempo entre a performance em uma variedade de teclados e seu trabalho como maestro. Estudou órgão e música sacra na Academia de Viena, onde foi aluno de Alfred Mitterhofer, Michael Radulescu e Erwin Ortner. Mais tarde, mudou-se para a Holanda, onde fez cursos de cravo e música de câmara sob a orientação de Ton Koopman. Foi laureado nas Competições de Órgão em Innsbruck em 1983 e Bruges em 1985.

Atualmente ensina baixo contínuo, música de câmara e improvisação no Royal Conservatory of the Hague. Foi tutor dos cursos da Orquestra Barroca da União Europeia e deu masterclasses no Conservatório Tchaikovsky e na Escola Gnessin em Moscou, na Universidade Yonsei de Seul, na Academia da Letônia em Riga e na Escola de Verão do Mozarteum de Salzburgo. Patrick Ayrton é a figura central de um documentário baseado em “Tregian’s Ground”, romance premiado da escritora suíça Anne Cuneo. Sua associação e colaboração com o maestro holandês Arie van Beek o levou a desenvolver suas habilidades como diretor musical.

Nos últimos anos, recebeu convites para reger orquestras de renome, como a Orquestra de Auvergne, a Academia de Câmara de Potsdam, a Orquestra de Dijon-Bourgogne, a Orquestra de Pasdeloup em Paris, a Orquestra de Câmara Nórdica (Suécia), a Orquestra Sinfônica de Cannes, o Coro da Rádio da Letônia, a Orquestra de Câmara de Munique ou a Orquestra Filarmônica de Sofia. Patrick Ayrton é também o fundador de Les Inventions, um conjunto de época que explora repertório desconhecido do século XVIII, como as obras de Joseph Touchemoulin e Thomas Linley. Les Inventions trabalha em estreita parceria com o aclamado conjunto vocal britânico VOCES8. Patrick Ayrton também é conhecido por suas palestras pré-concerto e é um palestrante regular. De 2004 a 2016, foi diretor artístico do Festival Bach en Combrailles na França. Na temporada 2016-17 regeu a Orquestra Filarmônica de Sofia num ciclo de 6 concertos de repertório Barroco, Clássico e Neoclássico.