Ir para conteúdo
FCC

Programação Artística

janeiro 2021

ABERTURA DA 38ª OFICINA DE MÚSICA COM MEMBROS DA AL NOUR WAL AMAL ORCHESTRA

Horário
12h00
Preço
Gratuito

Atenção: O concerto será apenas transmitido pelo Link: www.oficinademusica.org.br/aovivo

Não haverá presença de público em razão dos protocolos de distanciamento social  devidos à Covid 19.  

 

38ª Oficina de Música de Curitiba

Direção Artística de Música Erudita – Abel Rocha

17 DE JANEIRO (DOM), 12H

Live de abertura da Oficina de Música, com representantes (maestro e membros) da Associação e Orquestra: Egyptian Blind Girls Chamber Orchestra AL NOUR WAL AMAL

(Orquestra de Câmara Egípcia de meninas cegas)

 

Amal Fikry – Presidente do Music Institute and Al Nour Wal Amal Chamber Orchestra

Dr. Mohamed Saad Basha, - Maestro da Al Nour Wal Amal Chamber Orchestra

Musicistas Membros da Orquestra - Shaimaa Yehia, Marwa Soliman e Mariam Kamal

Mediadores - Fabiana Bonilha e  Luiz Amorim

Haverá tradução da live

Tradutoras Melina Arins e Larissa Carangi

 

The Egyptian Blind Girls Chamber Orchestra AL NOUR WAL AMAL

(Orquestra de Câmara Egípcia de meninas cegas)

A Associação Egípcia de Meninas Cegas, Al Nour Wal Amal (Luz e Esperança), foi fundada no Cairo em 1954 por um grupo de mulheres voluntárias sob a liderança da falecida Sra. Istiklal Radia, o primeiro centro no Egito e no Oriente Médio para cuidados, educação, treinamento vocacional e integração de meninas e mulheres cegas na sociedade. A Associação é uma organização não governamental sem fins lucrativos. Seus membros e dirigentes são todos voluntários. Seu objetivo principal é estabelecer os direitos de meninas e mulheres cegas, proporcionando-lhes educação gratuita, internatos, programas de alfabetização em braille e treinamento vocacional. O desenvolvimento de seu potencial e de suas habilidades especiais ajuda a assegurar que física e psicologicamente essas meninas e mulheres se tornem auto suficientes e membros integrados da sociedade egípcia. Em 1961, a Sra. Istiklal Radi estabeleceu o Al Nour Wal Amal Music Institute em uma base acadêmica com a assistência do Dr. Samha El Kholy, ex-presidente da Academia Egípcia de Artes e ex-reitor do Conservatório de Música do Cairo. Um sistema educacional de dois níveis foi criado para que essas meninas tivessem um programa de educação nacional formal na Escola Al Nour Wal Amal pela manhã, enquanto frequentavam o Instituto de Música à tarde. Do Instituto de Música da Associação, nasceu a Orquestra de Câmara para Meninas Cegas Egípcias. Esta orquestra é única, visto que é a única orquestra de câmara do mundo composta inteiramente por músicos cegos que tocam tanto música clássica ocidental como oriental.

Ao longo dos anos, diferentes maestros tiveram sucesso no desenvolvimento de técnicas e métodos especiais que permitiram às meninas atuar como orquestra de câmara sem ter que ler as notas em braille ao se apresentar e sem ter que contar com a tradicional batuta do maestro.

A Orquestra de Câmara do Instituto de Música começou como um grupo de 15 músicos cegos e, em 1972, a Sra. Amal Fikry, membro do Conselho de Administração e responsável pelos assuntos externos da Al Nour Wal Amal, organizou a primeira apresentação fora das instalações da Associação, na antiga Cairo Opera House. Em seguida, seguiram-se apresentações em escolas, universidades, hotéis, clubes e embaixadas, e em 1987, a Sra. Amal Fikry organizou a primeira apresentação da segunda geração de músicos da Orquestra de Câmara, então composta por 30 músicos, no Teatro El Gomhoreya. Em 1988, a Sra. Amal Fikry embarcou na realização do sonho da Sra. Istiklal Radi. Conseguiu e organizou, com o financiamento necessário, a primeira viagem para os músicos da segunda geração da Orquestra de Câmara viajarem para se apresentarem no estrangeiro. Após esta primeira viagem, a Orquestra de Câmara de Al Nour Wal Amal ganhou reputação internacional, fama e reconhecimento. Até hoje, a Orquestra de Câmara viajou 31 vezes, por cinco continentes, e se apresentou em 26 países; Países europeus, árabes, africanos e asiáticos, além de Canadá e Austrália.

No exterior, a Orquestra já se apresentou em salas de concertos profissionais, teatros, centros culturais, em alguns casos apenas, ao ar livre. A Orquestra foi recebida em todos os países com entusiasmo e carinho e alcançou grande sucesso, reconhecimento e aplausos de pé. Hoje, uma Orquestra de quarta geração composta por estudantes e universitários está em formação, para seguir o caminho de sucesso das antigas gerações de músicos de Al Nour Orquestra de Câmara Wal Amal. Vários maestros têm contribuído para suas atividades. Durante vinte anos, a Orquestra foi formada e regida pelo falecido Maestro Ahmed Abul Eid, que tinha conseguido desenvolver técnicas e métodos especiais para permitir que as meninas se apresentassem como orquestra sem a necessidade de ler as notas em Braille durante a apresentação, e sem muito dependência essencial da famosa “batuta” do maestro. De 2004 a 2016, a Orquestra de Câmara foi regida pelo falecido Dr. Aly Osman, e a partir de 2016, o Maestro Mohamed Sad continuou a dirigir e reger os músicos com sucesso. Samha El Kholy supervisionou tecnicamente o Instituto de Música desde a sua criação, e por um período de 45 anos. A Dra. Inas Abdeldaiem, a famosa flautista e presidente da Cairo Opera House, foi a responsável pela supervisão técnica de 2008 a 2017, quando foi nomeada Ministra da Cultura. A Orquestra de Câmara Al Nour Wal Amal é uma orquestra de câmara com  as quatro seções: cordas, sopros, metais e percussão. As apresentações incluem obras de Mozart, Beethoven, Bizet, Mendelssohn, Ravel, Purcell, Katchaturian, Weber, Tchaikovsky, Abu-Bakr Khairat, Gamal Abdel Rehim, El Sonbaty e outros compositores, tanto estrangeiros como egípcios.

Integrantes do Board da Associação da Al Nour Wal Amal Orchestra,  maestro e membros da Orquestra que farão parte do encontro

 

Mrs. Amal Fikry - Presidente do Instituto de Música

Entrou para a Associação Al Nour Wal Amal para o Cuidado de Mulheres Cegas em 1969. Realizou vários projetos para a Associação, mas depois se concentrou no avanço do Instituto de Música. Tornou-se presidente do Instituto de Música em 1988 e, desde então, tem conseguido obter e assegurar o financiamento necessário para 32 viagens da Orquestra de Câmara a 27 países em 5 continentes. Criou uma Orquestra Júnior, que faz muito sucesso, e está trabalhando na formação de uma orquestra infantil, para seguir a trajetória de sucesso das antigas gerações de músicos da Orquestra de Câmara Al Nour Wal Amal.

 

Dr. Mohamed Saad Basha, Maestro of Al Nour Wal Amal Chamber Orchestra,

Dr. Mohamed Saad Basha juntou-se ao Al Nour Wal Amal Music Institute em 2012 como maestro da Orquestra Júnior. Em 2015 começou a reger a Orquestra de Câmara e viajou com a Orquestra para a França para executar a opereta “Dia e Noite da Árvore do Coração”. Desde então dirige a Orquestra de Câmara.

 

Algumas musicistas da Al Nour Wal Amal Orchestra que farão parte do encontro

Shaimaa Yehia

Shaimaa ingressou no Instituto de Música da Associação Al Nour Wal Amal em 1992 aos 7 anos; juntou-se à Orquestra Júnior em 1993 como violinista. Um ano depois, ingressou na Orquestra de Câmara. Shaimaa viajou pela primeira vez ao exterior com a Orquestra de Câmara para o Canadá em 1998. Desde então,  viajou para o exterior 20 vezes com a Orquestra de Câmara. Shaimaa agora é professora de violino no Instituto de Música Al Nour Wal Amal e professora de Inglês na escola primária de Al Nour Wal Amal.

 

Marwa Soliman

Marwa ingressou no Instituto de Música da Associação Al Nour Wal Amal em 1996 aos 7 anos; juntou-se à Orquestra Júnior em 1997 como violinista. Em 2002, ingressou na Orquestra de Câmara. Marwa viajou pela primeira vez ao exterior com a Orquestra de Câmara para a Grécia em 2006. Desde então,  viajou 17 vezes ao exterior com a Orquestra de Câmara. Marwa Soliman é funcionária da Universidade de Ain Shams, na biblioteca de Braille, e atualmente está se preparando para o mestrado em Uso de Computadores nas Ciências da Linguagem.

 

Mariam Kamal

 Mariam ingressou no Music Institute da Al Nour Wal Amal Association em 2002 aos 7 anos, juntou-se à Orquestra Júnior em 2003 como violinista. Um ano depois, ingressou na Orquestra de Câmara. Mariam viajou pela primeira vez ao exterior com a Orquestra de Câmara para a Grécia em 2005. Desde então,  viajou 6 vezes para o exterior com a Orquestra de Câmara. Mariam está no último ano da universidade, estudando espanhol.

 

Mediadores

Fabiana Gouvêa Bonilha 

É doutora e mestre em Música pela UNICAMP e, como pianista cega, desenvolve pesquisa sobre musicografia braile. É graduada em piano erudito pela UNICAMP e, em Psicologia, pela PUCCAMP. É formada no curso técnico pelo Conservatório Musical Carlos Gomes, de Campinas. Participou de importantes festivais, realizou vários recitais solo e foi solista da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, regência de Benito Juarez e da Orquestra Sinfônica de Sorocaba, regência de Eduardo Ostergren. Atualmente, é servidora pública e pesquisadora no Centro de Tecnologia da Informação CTI Renato Archer. Premiada nos concursos Souza Lima e Arte Livre. Estuda sob orientação de Carina Joly.

 

Luiz Amorim

Luiz Amorim, 35 anos, natural de Nova Friburgo (RJ), é pessoa com deficiência visual (baixa visão). É professor de Teoria Musical e de Prática de Conjunto no Projeto Música Tátil, projeto que idealizou e desenvolve de forma voluntária para pessoas também com deficiência visual em Curitiba. Graduou-se em Licenciatura em Música na UFPR em 2015, defendendo o Trabalho de Conclusão de Curso abordando o ensino de violino para deficientes visuais. A partir desse trabalho, apresentou artigo no V Encontro sobre Ensino de Música para Pessoas com Deficiência visual, da Escola de Música da UFRN em Outubro de 2017. Dirigiu o I e o II Recitais do Projeto Música Tátil em agosto e dezembro de 2017 respectivamente. Pós-graduou-se em Educação Especial Inclusiva pela Faculdade São Braz em Outubro de 2018. Durante o ano de 2018 ministrou oficinas inclusivas para pessoas com deficiência visual no 29o Festival de Música de Cascavel (PR), 21o Festival de Música de Itajaí (SC) e VI Encontro Sobre Música e Inclusão da Escola de Música da UFRN (RN). Em 2019 atuou como ministrante dos primeiros cursos inclusivos oferecidos pela Oficina de Música de Curitiba, com as oficinas “Raízes Da Música: Elementos do Som e da Apreciação Musical" e “Fundamentos Do Sistema Braille e da Musicografia Braille”, além de ministrar o workshop “O Ensino De Música Para Pessoas com Deficiência Visual”, no I Festival Música e Educação, Cata-Vento Centro de Formação Musical (MG). Em 2020, além da continuidade de seu trabalho na Oficina de Música de Curitiba, ministrou palestras online no Encontro Internacional Sobre Musicografia Braille da Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

 

 

FICHA TÉCNICA INSTITUCIONAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

Prefeito

Rafael Greca de Macedo

 

FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA

Presidente

Ana Cristina de Castro

 

Diretor Administrativo e Financeiro

 Cristiano Augusto Solis de Figueiredo Morrissy

 

Diretor de Ação Cultural

Edson Bueno

 

Diretor de Planejamento

José Roberto Lança

 

Diretor de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural

Marcelo Sutil

 

Diretora de Incentivo à Cultura

Loismary Ângela Pache

 

INSTITUTO CURITIBA DE ARTE E CULTURA

Diretor Executivo

Marino Galvão Jr.

 

Gerente Administrativo/Financeiro

Maria Eduarda Rigos Maia Prata Bahls

 

Coordenadora de Música

Janete Andrade

 

Assessoria Jurídica

Simone Konitz

 

OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA

Direção Artística Geral

Janete Andrade

 

Direção Artística Música Erudita

Abel Rocha

 

Direção Artística Música Antiga

Rodolfo Richter

 

Direção Artística Música Popular Brasileira e Música e Tecnologia

João Egashira

 

Curadoria do Programa MusicaR

Ângela Deeke Sasse, Cristiane Alexandre, Guilherme Romanelli

 

Curadoria Circuíto Off

Glauco Sölter

 

Curadoria Oficina Verde

Márcia Squiba

 

Coordenação do Projeto e Secretaria

Lucilene Ribas

 

Coordenação de Produção

Lilian Ribas

 

Produção Executiva

Alício Cardoso

Rogério Dimi

Altair de Oliveira

Bete Carlos

Mário Marcelo de Oliveira

 

Projeto MusicaR

Daiana Hostins

Suellen Moraes

 

Confecção de Programas da Música Erudita e Antiga

Darci Almeida

 

Arquivista

Clara de Lanna

 

Comunicação

Ana Luzia Gori Palka Miranda

 

Midias Sociais

Viridiana de Macedo

Alessandra Pastuch

Gabriela Maciel de Castro

Fernanda Suemi de Brito Katto

 

Design Gráfico

Clarice Midori Umezaki Iwashita

 

Designers

Luana Chemin

 

Suporte de TI

David Moura

INFORMAÇÕES: www.oficinademusica.org.br

 

ENCONTRO VIRTUAL NACIONAL DE ORQUESTRAS

Horário
17h30
Preço
Gratuito

Atenção: O concerto será apenas transmitido pelo Link: www.oficinademusica.org.br/aovivo

Não haverá presença de público em razão dos protocolos de distanciamento social  devidos à Covid 19.  

 

Encontro Virtual Nacional de Orquestras

Orquestra Sinfônica da Bahia

(Produção do Teatro Castro Alves)

Regência - Carlos Prazeres

Abraço no tempo: Homenagem a Beethoven

 

Vídeo Concerto em Homenagem à Lúcia Glück Camargo (in memoriam)

Horário
17h30
Preço
gratuito

Atenção: O concerto será apenas transmitido pelo Link: www.oficinademusica.org.br/aovivo

Não haverá presença de público em razão dos protocolos de distanciamento social  devidos à Covid 19.  

 

Vídeo Concerto em Homenagem à Lúcia Glück Camargo (in memoriam) (1944-2020) Fundadora da Oficina de Música de Curitiba

 

Camerata Antiqua de Curitiba

Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791)

Requiem em Ré menor K. 626

Movimentos

Lachrimosa e Cum sanctis tuis

Regência

Tobias Volkmann

VÍDEO DE ABERTURA DA 38ª OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA

Horário
20h00
Preço
Gratuito

Atenção: O concerto será apenas transmitido pelo Link: www.oficinademusica.org.br/aovivo.

Não haverá presença de público em razão dos protocolos de distanciamento social  devidos à Covid 19.  

 

Vídeo de abertura com Daniel Binelli (bandeonista de Astor Piazzola)

Daniel Binelli é um mestre do bandoneon internacionalmente reconhecido. Expoente máximo da música de Astor Piazzolla, em 1989 juntou-se ao Sexteto Nuevo Tango de Piazzolla, com o qual realizou várias turnês internacionais.

 

 

Recital de Violino e Piano com Winston Ramalho e Lucas Thomazino

Horário
20h10
Preço
Gratuito

Atenção: O concerto será apenas transmitido pelo Link: www.oficinademusica.org.br/aovivo.

Não haverá presença de público em razão dos protocolos de distanciamento social  devidos à Covid 19.  

 

RECITAL DE VIOLINO E PIANO

Winston Ramalho, violino

Lucas Thomazinho, piano

 

PROGRAMA

Bento Mossurunga (1879-1970)

Devaneio

Romance sem palavras

 

A obra geral de Bento Mossurunga tem uma gama de estilos. As peças são escritas para várias formações instrumentais e canto, e muitas delas receberam um arranjo feito pelas suas próprias mãos. Considerando o legado deste destacado compositor da história da música paranaense, o duo violino e piano executam “Devaneio” e “Romance sem palavras” como ponto de partida para nos inspirar nesta prazerosa jornada musical da 38ª Oficina de Música de Curitiba.

 

Mossurunga nasceu em 1879 na cidade de Castro (PR) onde iniciou seus estudos de piano e violino. Mudou-se para Curitiba em 1895. Em 1903, compôs o Hino do Paraná com a letra de Domingos Machado, em comemoração ao cinquentenário da Emancipação Política do Estado. Por 25 anos viveu no Rio de Janeiro, onde exerceu as atividades de pianista, violinista, regente e compositor. Em Curitiba criou a Orquestra Estudantil de Concertos, que viria a ser mais tarde a Orquestra Sinfônica do UFPR. Foi professor de canto orfeônico no Colégio Estadual do Paraná e um dos fundadores da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Bento Mossurunga recebeu o título de Cidadão Honorário de Curitiba em 1956.

 

Ludwig van Beethoven (1770-1827)

Sonata n.º 1 em Ré Maior, Op. 12

1. Allegro con brio

2. Andante con moto: tema con variazioni

3. Rondo: Allegro

 

Esta sonata nº 1, Op. 12 de Beethoven foi composta entre os anos 1796-98, na tonalidade de Ré Maior com apenas três movimentos. O primeiro, Allegro con brio, inicia-se com um motivo rítmico de três notas que vai conferir o apoio para o primeiro tema apresentado. O segundo andamento, Andante con moto: tema con variazoni, é na tonalidade da dominante de Lá Maior. O tema é apresentado pelo piano e depois reiterado pelo violino, seguindo-se quatro variações. A primeira variação é apresentada pelo piano, sendo que o violino adquire uma função quase limitada a acompanhamento. Na segunda variação os papéis se invertem, o tema é ouvido na voz do violino, com jogos de técnica em terceiras com escalas ascendentes e descendentes. Já numa tonalidade menor, a terceira variação parece prenunciar um clima nostálgico e calmo mas que é logo suplantado pelos rasgos de euforia e um tanto sarcásticos em escalas descendentes do piano e do violino. A última variação começa num clima mais lírico e cantado, onde piano e violino se entrelaçam. O terceiro andamento, Rondo: Allegro, regressa à tonalidade principal – Ré maior – e inicia-se com o piano a cantar um motivo rítmico cheio de energia. O violino irá interromper com um episódio que quer trazer alguma doçura e lirismo ao andamento final, mas o final retoma o carácter vivo e pleno de entusiasmo.

Nota extraída da Casa da Música/Portugal

 

Astor Piazzolla (1921-1992)

Le grand tango

Arranjo para violino e piano de Sofia Gubaidulina

 

Astor Piazzolla é o grande homenageado da 38ª Oficina de Música pelo seu Centenário de Nascimento (1921). Piazzolla nasceu em Mar del Plata, um vilarejo à beira-mar ao sul de Buenos Aires e tornou-se conhecido como o maior mestre do tango latino-americano e um virtuose do bandoneón. A sua formação foi variada, combinando várias influências e a sua música constitui um ponto de encontro onde a música clássica e o jazz se encontram no Tango tradicional.

 

Le grand tango (O grande tango) data de 1982 tendo sua publicação em Paris. A versão original da obra é para violoncelo e piano, sendo intencionalmente escrita para o renomado violoncelista russo Mstislav Rostropovitch, que só viria estreá-la em 1990 acompanhado pela pianista Sara Wolfensohn em Nova Orleans. Neste recital a versão de Le grand tango é para violino e piano num arranjo fabuloso e virtuosístico de Sofia Gubaidulinae.

 

Piazzolla trabalhou arduamente ao longo da sua vida, compôs, atuou em conjuntos e como solista de famosas orquestras clássicas, fez várias gravações de sucesso, viajou por todo o mundo e principalmente durante as últimas décadas da sua vida, ganhou elogios por onde passou. Sua morte em Buenos Aires, em 1992, entristeceu todo o mundo da música e, desde então, músicos de o mundo, têm prestado homenagens frequentes à sua arte, executando sua música em sua forma original ou em transcrições e reordenações.

 

 

BIOGRAFIAS DOS ARTISTAS

Winston Ramalho (PR) - Violino

É um dos mais destacados violinistas brasileiros de sua geração, e como dizia seu grande mestre Tibor Varga: - “Mãos perfeitas para o violino como as de Winston só nascem de 10 em 10 anos”. Foi orientado no Brasil e no exterior pelos professores Marco Damm, Hildegard Soboll, Elisa Fukuda, Wolfgang Redik (Vienna Piano Trio), Naoko Tanaka e da famosa pedagoga, Dorothy Delay. Posteriormente, foi aluno e assistente do consagrado professor e solista, Tibor Varga na Univesität Für Musik und Darstellende Kunst Graz, na Áustria. Neste mesmo período recebeu orientações de renomados violinistas internacionais, entre os quais podem ser destacados, Jaime Laredo, Boris Belkin, Zakhar Bron, Ivry Gitlis e Rainer Kuchl (spalla da Filarmônica de Viena). Durante seus estudos na Áustria, também estudou música de câmara com membros do Quarteto Alban Berg, Vienna Piano Trio e Quarteto Hagen. Foi primeiro lugar de vários concursos nacionais e internacionais, entre eles o Jovens Instrumentistas do Brasil, I e II Concurso Paulo Bosísio, Concurso Jovens Solistas da OSESP, Prêmio Jovem Talento do Soroptimist International of the Americas, Prêmio do Público e Vencedor do Shell Competition for Young Musicians em Londres. Participou de concertos e recitais de câmara no Brasil e em países como Áustria, Alemanha, Hungria, Itália, Croácia, Bélgica, com renomados grupos e músicos, nacionais e internacionais como Vienna Piano Trio e o Quarteto Camargo Guarnieri, Catalin Rotaru, Antonio Del Claro, Gilberto Tinetti, Radovan Vlatkovic, Wolfgang Redik, Geza Hosszu Legocky, Paulo Gori, Olga Kiun, Roman Mekinulov, Fábio Martino, Cristian Budu, entre outros. Também se apresentou como solista e camerista em consagradas salas de concerto como o Barbican Hall em Londres, Musikverein de Viena, Stefaniensaal em Graz, Teatro Guaíra em Curitiba e a Sala São Paulo. Foi solista de importantes orquestras do Brasil e do exterior como a Orquestra Sinfônica do Paraná, Orquestra Sinfônica de São Paulo, Orquestra de Câmara Tibor Varga (onde também atuou como spalla), London Schools Symphony Orchestra, Camerata Fukuda, Orquestra de Câmara de Curitiba, Orquestra Filarmônica UniCesumar, sob a batuta de maestros como Tibor Varga, Diogo Pacheco, Paulo Florêncio, Alceo Bocchino, Martin Haselbock, Roberto Tibiriçá, Celso Antunes e Marco Arakaki. Foi membro e violinista convidado das Orquestras Sinfônica do Paraná, Orquestra Sinfônica de São Paulo, Grazer Symphonishes Orchester, Recreation Orchester Graz, Orquestra Filarmônica de Viena e Orquestra de Câmara de Viena. Foi professor em vários festivais como na USP em São Paulo, Festival de Música de Londrina, Festival de Música de Ourinhos, Oficina de Música de Curitiba, Festival Tchaikovsky em Maringá, Primeiro Festival Internacional de Música de Salta na Argentina, onde lecionou e se apresentou ao lado de músicos da Filarmônica de Viena e Berlim, e no NEOJIBÁ (Núcleo Estadual de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia). Foi um dos ex-alunos escolhidos pela professora Elisa Fukuda para gravar o CD e DVD ao vivo com a Camerata, em comemoração aos 20 anos da Camerata Fukuda. Em junho de 2017, Winston criou em Curitiba o 1° Violin Festspiele Brazil, durante o qual mais de 60 violinistas de todo o Brasil tiveram aulas com ele e seus assistentes. Atualmente leciona nos principais festivais do Brasil e América do Sul e é spalla da Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba e Camerata Antiqua de Curitiba.

 

Lucas Thomazinho (SP) - Piano

Premiado com o Finalist Prize no XIX Santander International Piano Competition (Espanha), o pianista paulista Lucas Thomazinho vem desenvolvendo uma trajetória de destaque. Nasceu em 1995 e aos nove anos de idade ganhou o primeiro concurso. Desde então, venceu mais de uma dezena de concursos nacionais e internacionais, dentre eles, o 1º lugar no XVIII Santa Cecilia International Competition (Portugal), o 2º lugar e o prêmio do público no I Teresa Carreño International Piano Competition. Já atuou como solista de orquestras como a RTVE Symphony Orchestra, a Filarmônica de Minas Gerais, a Sinfônica de Campinas e a Orquestra Filarmonia das Beiras, trabalhando com maestros como Miguel Ángel Gómez Martínez, Dean Whiteside, Marcos Arakaki, Victor Hugo Toro. Participou de Master Classes com grandes nomes da música como Pierre Laurent Aimard, Alexander Toradze, Paul Lewis, Joaquím Soriano, Justas Dvarionas, Elisso Virsaladze. Desde o início de seus estudos, Lucas Thomazinho foi bolsista na Fundação Magda Tagliaferro, tendo como professores Zilda Candida dos Santos, Armando Fava Filho e Flavio Varani. Em 2017 foi lançado seu primeiro CD pelo selo KNS Classical com patrocínio da Cultura Artística. Lucas Thomazinho terminou em 2019 o bacharelado em piano na USP - Universidade de São Paulo, onde foi orientado por Eduardo Monteiro. Atualmente ele é bolsista da Cultura Artística e cursa o mestrado no New England Conservatory, em Boston, com os professores Wha Kyung Byun e Alessio Bax.

 

FICHA TÉCNICA INSTITUCIONAL

PREFEITURA MUNICIPAL DE CURITIBA

Prefeito

Rafael Greca de Macedo

 

FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA

Presidente

Ana Cristina de Castro

 

Diretor Administrativo e Financeiro

 Cristiano Augusto Solis de Figueiredo Morrissy

 

Diretor de Ação Cultural

Edson Bueno

 

Diretor de Planejamento

José Roberto Lança

 

Diretor de Patrimônio Histórico, Artístico e Cultural

Marcelo Sutil

 

Diretora de Incentivo à Cultura

Loismary Ângela Pache

 

INSTITUTO CURITIBA DE ARTE E CULTURA

Diretor Executivo

Marino Galvão Jr.

 

Gerente Administrativo/Financeiro

Maria Eduarda Rigos Maia Prata Bahls

 

Coordenadora de Música

Janete Andrade

 

Assessoria Jurídica

Simone Konitz

 

OFICINA DE MÚSICA DE CURITIBA

Direção Artística Geral

Janete Andrade

 

Direção Artística Música Erudita

Abel Rocha

 

Direção Artística Música Antiga

Rodolfo Richter

 

Direção Artística Música Popular Brasileira e Música e Tecnologia

João Egashira

 

Curadoria do Programa MusicaR

Ângela Deeke Sasse, Cristiane Alexandre, Guilherme Romanelli

 

Curadoria Circuíto Off

Glauco Sölter

 

Curadoria Oficina Verde

Márcia Squiba

 

Coordenação do Projeto e Secretaria

Lucilene Ribas

 

Coordenação de Produção

Lilian Ribas

 

Produção Executiva

Alício Cardoso

Rogério Dimi

Altair de Oliveira

Bete Carlos

Mário Marcelo de Oliveira

 

Projeto MusicaR

Daiana Hostins

Suellen Moraes

 

Confecção de Programas da Música Erudita e Antiga

Darci Almeida

 

Confecção de Programas da Música Popular Brasileira e Música e Tecnologia

Mari Lopes

 

Arquivista

Clara de Lanna

 

Comunicação

Ana Luzia Gori Palka Miranda

 

Mídias Sociais

Viridiana de Macedo

Alessandra Pastuch

 

Design Gráfico

Clarice Midori Umezaki Iwashita

 

Designers

Luana Chemin

 

Suporte de TI

David Moura

INFORMAÇÕES: www.oficinademusica.org.br

 

 

FESTIVAL VIRTUAL NACIONAL DE ÓPERA

Horário
21h00
Preço
Gratuito

Atenção: O concerto será apenas transmitido pelo Link: www.oficinademusica.org.br/aovivo

Não haverá presença de público em razão dos protocolos de distanciamento social  devidos à Covid 19.  

 

XXII Festival Amazonas de Ópera

Programa - Ópera Alma em 4 atos de Claudio Santoro

Regência - Marcelo de Jesus

Direção cênica - Juliana Santos

 

ELENCO

Mezzo-soprano - Denise de Freitas interpretando Alma

Tenor - Juremir Vieira como João do Carmo

Barítono - Homero Velho no papel do cafetão Mauro

A Ópera conta com o Corpo de Dança do Amazonas, o Coral do Amazonas e a Amazonas Filarmônica.

 

Programação

17 hoje domingo
6 eventos | Ver todos
mês anteriorjaneiro de 2021próximo mês
272829303112
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31123456

Gêneros